quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Edir Macedo x TV Globo


É briga de cachorro grande, com o perdão dos cachorros, criaturas maravilhosas que merecem de mim todo o respeito e consideração.

4 comentários:

Anônimo disse...

Grande Neno,
É o roto falando do esfarrapado (ou como dizia minha mãe, o sujo falando do mal lavado...)
Infelizmente, neste país miserável, precisamos de episódios como este (ou como as CPIs, ou como esta crise do Senado), para sabermos aquilo que muitos adorariam esconder bem escondidinho, nos locais mais recônditos... Mais infelizmente ainda, no caso das TVs: não temos opção: é o ruim ou o péssimo (não necessariamente nesta ordem...) Ainda mais triste, no caso dos políticos, é sabermos que OS CULPADOS SOMOS NÓS! (Não somos nós que os colocamos lá?)
Acho interessante as pessoas, tão limpinhas, dizendo mal de político tal, e na eleição seguinte, pedindo voto para fulano porque é amigo da família, ou porque arrajou ou vai arranjar uma sinecura para alguém da família... Como diria Claude Levi Strauss,"Tristes trópicos!..."
Enorme abraço, Neno!
Luiz Aldo
João Pessoa - PB

Musicadaboa disse...

Sabemos que o termo "briga de cachorro grande" se refere aos podorosos, fortes. Infeliz esse ditado.

De verdade fortes são os animais (ditos irracionais) e as flores que hão de contemplar, uns com carinho, outros com perfume crítico ou carinhoso, o funeral de seus indiferentes ou algozes.

Em tempo: Eu, Maria Tereza, não coloquei ninguém lá senão por fome ou falta de dentes!

Mario disse...

É, tem algum interesse grande por trás disto tudo....
Saudades, Neno!

Anônimo disse...

Caros leitores do Neno,
O que escrevi acima não significa que acho que os leitores deste espaço teriam votado em alguém pelas razões ali apontadas. NÃO! Na verdade, quem vê e lê o Neno CERTAMENTE não o faz, nem jamais o fez. Escrevi aquilo com o seguinte ânimo: somos povo, da mesma forma que as pobres almas encurraladas (inclusive as paupérrimas almas que leem Veja- argh!), daí, por participarmos da mesma coletividade, não podermos nos dizer externos a este contexto... Pisei em terreno minado, reconheço, mas não pensar assim seria incoerente com o meu asco àqueles que chamei de "limpinhos"... Perdão, se fui mal interpretado, humildemente lhes peço!
Abraços aos Nenófilos e ao próprio Neno!
Luiz Aldo
João Pessoa - PB
luiz_aldo@uol.com.br