quinta-feira, 18 de junho de 2009

Inversão (total) de valores

Duas com relação à TV Globo. Primeira: quando mostra as afiliadas, nos justos festejos dos 40 anos do Jornal Nacional, coerência pura, pois só traz as desgraças de cada lugar, reforçando o pavor de que somos acometidos sempre que aparece aquela característica do PLANTÃO, verdadeiro assombro.

Segunda: aplaudindo a decisão do Supremo Tribunal Federal de abolir a exigência de formação acadêmica para o exercício do Jornalismo, o que o transforma, pra começo de conversa, em "jornalismo", com todas as aspas possíveis e imagináveis, a direção da emissora foi ré confessa, pois disse que o STF apenas legitimou (aspas?) uma prática que já vinha adotando.

2 comentários:

Antonio disse...

É verdade Neno. A Globo nessa comemoração junto com as afiliadas só tem mostrado desgraça. Quanto as faculdades de jornalismo acho que devem continuar existindo até porque conhecimento nunca é demais. Sempre lembrando que escrever é um dom que poucos dominam. Fica a cargo dos empresários contratar ou não jornalistas formados. Quem vai impedir um jardineiro ou um cozinheiro de escrever sobre o seu ramo de atividade ou sobre qualquer outro assunto nos jornais ou revistas, desde que escreva corretamente e agrade ao público? É uma questão de liberdade de expressão. Não gosto do "boca de suvaco II", Gilmar Mendes, mas dessa vez ele acertou.

valter disse...

Ficamos realmente sem entender como pode um órgão, que se diz SUPERIOR, ir na contra mão do que podemos chamar regularização de uma profissão. Ou seja, se já existe a 40 anos, acho que se devia haver praticas para sua melhora no dia-a-dia e não tentar acabar uma profissão já regulamentada. E ainda não pára por aí. Dizem que outras poderam ter o mesmo destino... eita povo que a cada dia quer esculhambar cada vez mais esse pais.