quarta-feira, 24 de junho de 2009

Basta sentir para crer

Temas como Educação, Saúde, Saneamento e Segurança não deveriam ser objeto de gastos com propaganda, pois nada mais que obrigação básica de qualquer governo que se preze. Além disso, são ações facilmente percebíveis, sem nenhuma necessidade de divulgação. Se alguém é atendido decentemente em um posto de sáude, por exemplo, saberá reconhecer, sem a necessidade de lavagem cerebral na mídia.

5 comentários:

Anônimo disse...

É realmente de se lamentar o dinheiro do povo usado para fazer propaganda de maus governantes. O dinheiro já é muitas vezes mal usado e para piorar ainda se faz publicidade de grandes besteiras que são realizadas se dizendo em beneficio do povo, quando muitas vezes, são feitas é na verdade em beneficio proprio. Valter Nogueira

Briguilino disse...

Neno, para campanhas de vacinação e outras deste tipo acho que deve ser usado sim os meios de comunicação. O que deveria era o governo não pagar aos meios de comunicação. Eles não são concessões publicas, ou não?

neliocfj disse...

Neno,

Também se propaga o que não é feito.
A reforma da praça do exército/do bosque(Eudoro Correia), consta como feita.
Dê uma passadinha lá pra ver.

Nélio

Anônimo disse...

Uma vergonha. Diziam que a copa traria muito desenvolvimento para Fortaleza. Pelo rateio das verbas já tornado público saúde e segurança publica ficarão apenas com uma esmolinha. Menos de três por cento para os dois. Sabemos que o nosso estado precisa de um grande investimento em segurança pública principalmente na valorização do profissional de segurança.

Anônimo disse...

Ora caro Neno, um povo que reelege indivíduos como Fernando Color, José Sarney, e outros políticos, tem que ter a mente refrescada com pequenas lemrbaças audivisuais, e co o dinheiro do seu próprio bolso...Senão o finório que fez a obra na sua gestao cai no esquecimento, pergunte ao leitorado quem construi o castelão??? Nada mais justo que o emprego dessa justa verba para exaltar o trabalhos desses dignos cidadões....(Clécio)