terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

30 Anos


Nunca ganhei dinheiro com o jornalismo, talvez o suficiente para viver e olhe lá, assim mesmo fazendo alguns malabarismos. Não me queixo. No somatório geral, tem valido demais a pena. A verdade é que jornalismo não dá dinheiro, a não ser em casos excepcionalíssimos, em centros ou países muito adiantados. Exceção, jamais regra. E se gera fortuna pode estar certo de que não é propriamente jornalismo, mas qualquer outra coisa. Por isso, vá por mim, se vir alguém que se diz jornalista ostentando algum sinal de riqueza material, sem ter recebido herança ou acertado a Mega-Sena acumulada, pode desconfiar. Ou melhor, ter certeza...

5 comentários:

Márcia Valéria disse...

Eu sou jornalista. E na luta diária que se trava para passar informações de qualidade sei que não é nada fácil. Horas de dedicação, mente ligada, às vezes, pouquíssimas horas de sono e o fato de estar, todos os dias, com a vida de outras pessoas nas nossas mãos. Muita gente deposita em nós a última esperança para ter uma injustiça denunciada, uma opressão desmascarada, o sonho de justiça realizado e isso nos exige uma responsabilidade indescritível. Não, não dá para brincar de fazer jornalismo nem fazer de conta que é só botar uma roupinha bonita e uma maquiagem legal, ter uma voz agradável ou algumas palavras combinadinhas no papel. O jornalismo é tão mais que isso! Não é realização de gosto pessoal nem troca de favor, não pode ser usado como cala-te boca nem paga de interesses contrariados. Nós somos e devemos nos comportar como vozes da sociedade. Romantismo? Não. Prefiro definir como honra.
Neno, parabéns pela decência do teu trabalho, rigor na verdade, sensibilidade na vida.

Neno Cavalcante disse...

é por demais confortador para mim sqber da existência, conhecer e conviver com com pessoas assim, feito você.
E se pensa que aprende comigo, tá é longe. Eu aprendo muito mais com essa co-existência.

Neno Cavalcante disse...

é por demais confortador para mim sqber da existência, conhecer e conviver com com pessoas assim, feito você.
E se pensa que aprende comigo, tá é longe. Eu aprendo muito mais com essa co-existência.

Marcela disse...

Esses dois só me enchem de orgulho. Amo vocês!

Alex Alves disse...

Só o amor constrói!