quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Mistificação chocante

É ilegítimo empresa, seja qual for, se vangloriar ou ser enaltecida como "grande contribuinte de ICMS". Ora, esse tributo não é pago pelo empresário, mas pelo consumidor. E não estou supondo, muito menos inventando nada: está lá especificado na Nota Fiscal. O empresário apenas faz o repasse do que recolheu no ato da venda ou prestação do serviço. Muitos o fazem para cumprir dever,outros por obrigação (medo do flagra), mas há também os que se apossam do dinheiro, esperando ver no que vai dar. Se colar, colou.
Tenho aqui em mão a conta da Coelce da minha casa. Essa empresa, "privatizada" pelos tucanos e cujo valor arrecadado não se sabe exatamente em que foi aplicado - e aqui não vai nenhuma acusação a ninguém, é apenas um lembrete de que compete aos governos tornarem público o que foi feito com o dinheiro obtido por meio da venda (vá lá que seja) do patrimônio público -, é uma repassadadora (atravessadora, melhor dizendo)de energia que cobra uma das mais altas tarifas do País, acima até de São Paulo. Valor da minha conta: R$ 256,86. Tributos (ICMS, PIS/Cofins: R$ 74,59. Quem pagou foi a Coelce? Nada disso. Eu paguei.

3 comentários:

nelio disse...

Caro Neno,

Ficou banalizada a cultura da sonegação de impostos no Brasil(exceto para o trabalhador).
Assim, a empresa que recolhe do contribuinte e repassa ao fisco, acha que está fazendo algo excepcional e que é merecedora do prêmio de "empresa do ano".
É como ser honesto e achar que merece ser elogiado por isso.

Alberto de Oliveira disse...

A gula de Cesar no final das contas eleva os preços em geral e o indefeso eleitor além de dar a ele Cesar o que é dele Cesar, paga mais pelo feijão de cada dia e pela sagrada água que lhe banha e limpa o suor.

Se essa água for aquecida ou amornada aí lasca o resto: A Coelce lhe toma e bebe sua também sagrada cachaça.

Agora peça em troca a Cesar segurança, saúde e educação?!?!?

Vai adiantar, vai?

Além da sonegação há os privilégios fiscais principalmente para quem nada produz e ainda usurpa seus clientes e funcionários como os bancos fazem impunes.

Acho que ao menos a água deveria ser por conta de Cesar.

Fernando Veras disse...

Mais imoral ainda é a cobrança da taxa de quase 40 reais só pra ter direito a usar um telefone fixo. Usando ou não. Cadê os deputados e senadores que não acabam com essa imoralidade?